Olimpia 24 Horas

LIBRAS NA ESCOLA - Projeto promove inclusão de alunos surdos na rede municipal

Postado em: 13/05/2019

Proporcionar relações pessoais mais humanizadas, através da educação. É com este viés que a Estância Turística de Olímpia atua fortemente na inclusão de alunos com deficiência e transtornos específicos de aprendizagem na rede municipal de ensino.

O trabalho com a Educação Especial Inclusiva, por meio do Atendimento Educacional Especializado (AEE), é realizado pela secretaria de Educação desde 2010, investindo constantemente em novidades, capacitações e aprimoramento dos profissionais.

Uma das ações desenvolvidas é o Projeto “Libras na Escola”, que surgiu em 2017 como um modelo piloto na EMEB Santo Seno para contribuir com a inclusão de um aluno surdo e, agora, foi ampliado para outras escolas do município. O trabalho se embasa ainda no que estabelece a legislação federal (Decreto Federal Nº 5626, de 22 de dezembro de 2005), que garante aos alunos surdos ou com deficiência auditiva o direito a uma educação bilíngue nas salas de aula.

Assim, para garantir o desenvolvimento eficaz do trabalho realizado com os alunos surdos e deficientes auditivos, o município oferece o Intérprete de Libras/Instrutor para acompanhar a criança durante o período regular de aula. Já o Projeto Libras na Escola vem para acrescentar este trabalho, contando com um Instrutor de Libras, que ensina a Língua Brasileira de Sinais em sala de aula a todos os alunos. O objetivo é garantir que haja interação e comunicação entre a criança surda e a ouvinte.

“A necessidade de desenvolver o Projeto Libras na Escola foi dar oportunidade ao aluno com deficiência auditiva a comunicar-se com os demais alunos da sala, favorecendo a interação/integração do mesmo com o ambiente escolar”, destaca Silvana Cardoso Fernandes, diretora da EMEB Santo Seno, pioneira no projeto.

A rede municipal de ensino atende cinco alunos surdos e todos apresentaram melhoras no rendimento escolar e desenvolvimento pessoal, segundo relatos das diretoras de escolas e equipes escolares.

“As crianças que compartilham deste processo de comunicação sentem-se valorizadas e se desenvolvem com segurança e autoestima elevada. Por este motivo a importância do projeto Libras dentro das escolas. Através deste projeto, a criança garante sua identidade, comunicação e valorização”, avalia Anna Carolina Branco Fonseca Ferranti, diretora da EMEB Maurício César Alves Pereira.

“O Projeto está sendo uma experiência riquíssima para todos os alunos participantes. Ele proporciona a essas crianças o aprendizado da língua dos surdos, mas também abre um campo de possibilidades e relações pessoais humanizadas. Isso favorece a autoestima do aluno, pois a escola está a cada vez mais inclusiva. O surdo não se sente diferente, ao contrário, se sente parte da comunidade escolar”, declara Renata Feliciano Olmedo Felippe, diretora da EMEB Jardim Hélio Cazarini, onde foi realizada recentemente uma apresentação especial e emocionante da interpretação da oração “Pai Nosso” em Libras, envolvendo os alunos do 5º ano A, em virtude da aluna surda, Carolinne Vitória da Silva Souza. O vídeo da apresentação foi publicado na página oficial da Prefeitura, no Facebook, e já teve mais de 9 mil visualizações.

Para a mãe de Carolinne, Edilaine Catiússa da Silva, a iniciativa tem auxiliado no processo de crescimento e aprendizado da filha. “Quando soube do projeto de libras fiquei imensamente grata porque sei da limitação da Carol e sei que Libras faz parte do mundo dela e ela se identificaria e iria conseguir avançar mais essa fase da vida dela. Isso é muito importante pra nossa família. Com o projeto, a autoestima dela aumentou, a evolução dela é perceptível, e isso nos dá a certeza de estarmos no caminho certo!”, conta a mãe com entusiasmo.

De acordo com a supervisora de ensino, Silvana Albano, idealizadora do projeto e responsável pela Educação Especial Inclusiva no município, os objetivos do Projeto Libras na Escola estão sendo alcançados, pois os alunos ouvintes estão aprendendo a comunicar em Libras, garantindo um processo efetivo de inclusão. O trabalho é acompanhado pela coordenadora técnico pedagógica da Educação Especial Inclusiva, Marcela R. Nespolo Aniceto, e coordenado pela secretária de Educação, Maristela Meniti. 

Leia Também

Entre em Contato

(17) 99769-5656 WhatsApp

[email protected]

Jornalista responsável:
Julio César Faria
Julião Pitbull - MTB 53113

Cadastre-se e receba
Informativos
Olímpia24Horas nas Redes Sociais